quarta-feira, 25 de março de 2009

MAIS SAUDADES DO EDMAR

Recebemos:
Olá, meu nome é Lílian, sou filha do Edmar e fiquei muito feliz ao ver essa foto dele aqui no blog. apesar de ter convivido pouco com ele, saber que ele foi uma grande pessoa e um excelente jogador de futebol, me deixa muito orgulhosa. Por favor, quem tiver mais fotos ou algo sobre ele mandem para meu e-mail: lilinha.raquel@hotmail.com , ficarei muito agradecida. Um beijo para todos.

Conforme prometido, Lílian, aí está o seu querido pai em mais fotos do nosso arquivo, posando para posteridade com colegas do Ginásio Santo Antônio, no patamar da igreja, hoje catedral de Santo Antônio, em Campo Maior. Um pouco mais tarde, Edmar e a maior parte dessa turma se transferiu para o Colégio Estadual da terra onde nasceu o craque de futebol filho da dona Toinha, chamado carinhosamente pela imprensa e pelos amigos, de Edmarzinho.





Antônio Leni, filho do protético Zuza Correia Lima; o craque de bola, Edmar de Oliveira Pinto, e o Rogerinho da dona Mulata mostrando toda sua intimidade com o caderno do ginásio Santo Antônio, na porta da igreja? Qual terá sido o pároco que ouviu essas confissões?

Nota do BitorocaraNews:
Antônio Leni é funcionário da Agespisa; Edmarzinho nos deixou precocemente, e o Rogerinho é representante comercial em Teresina.

Fotos: Museu do Paulo&BitorocaraNews


18 comentários:

Ricardo Reis disse...

Netto, meu amigo, que imagem. Antônio Leni, grande amigo. Leni é um ser humano que não carrega a maldade no coração. Boêmio, tranquilo, tem verdadeira idolatria pelos amigos. Quando vou a Campo Maior, sempre encontro com ele.
Guardo muitas lembranças do Edmar, apesar de mais novo que ele. Na década de setenta, o River jogou com o time do Ceará, em Fortaleza. Perdemos o jogo, porém, Paulinho Rocha, o maior comentarista esportivo do Ceará, na época, só viu o Edmar em Campo. Craque , bonito e boa gente, namorou belas mulheres, e fez a sua hora. Que Deus o ilumine no plano espiritual.
Rogério da dona Mulata, que figura. Há tempos que não o vejo. Bom amigo.
Na verdade, o Leni, o Edmar e o Rogério, eram amigos do meu irmão mais velho, Francisco Eurípedes, o boca rica, entretanto, como antigamente em Campo Maior, todos se conheciam, e moravam próximos uns dos outros, a amizade generalizava-se, e todo mundo conhecia todo mundo. Bela época, pena que muita coisa mudou, porém, devemos manter vivo esse sentimento de união e respeito. O Bitorocara, com certeza, esta contribuindo para isso.

amaral disse...

sobrou pro pade mateus, esse áudio. mermão, o recipiente para comportar a confissão dum power trio desses precisa ter uma grande circunferência.com essa tela do edmar dava até pra encarar a salomé. um épico sobre os carnaubais com os dois protagonistas. vai que é tua zan!

zan disse...

Esses caras aí foram meus alunos nos colégios daqui no final dos 60 pro começo dos 70. Ontem cruzei com o que ainda está entre nós em Campo Maior. Não reconheci de cara mas ele me reconheceu, o que é ótimo mas chato porque é incrível como os anos fazem um estrago feio na cara corpo da gente. Leni ficou até um pouco constrangido com a minha reação, depois relaxou por conta do comentário de que meus cabelos estão mais brancos que os dele. Leni ainda tem aquele ar tranquilo e calmo de quando tinha menos vinte e tantos anos e era meio esquivo e calado prum cara da idade dele. Dói na alma lembrar do Edmar por ter se ido tão jovem e cheio de vida. A foto captou bem todos quando eram jovens campomaiorenses sonhadores e felizes naqueles já distantes anos 70.

Anônimo disse...

O Rogério da dona Mulata era imbatível na ginga. Ô homi gingoso.

Judilão disse...

E ainda mais com essa cabeleira balula...eita Rogério invocado...

zan disse...

A dona Mulata na verdade era a mãe adotiva, junto com as outras irmãs Lima, entre elas uma das heroínas que tentou me alfabetizar sem êxito lá pelos anos 50, dona Josefa Lima, mais conhecida na intimidade da família com o carinhoso apelido de Bilô, da mãe biológica do Rogério, dona Sebastiana.

zan disse...

O Amaral é tão pérfido nos seus comentários que eu, com a minha genialidade senil, só vou entender depois de da décima leitura, por aí... Insinua ele que power trio como ele chama lá, tá na fila da confissão do padre Mateus... É isso mermo ou tou ruim das oiças? Só de imaginar o que aquela molecada lá não disse pro Pe. Mateus, dá vertigens...

Judilão disse...

Olha só o detalhe da ginga do Rogério da dona mulata, ta com os braços cruzados e fazendo um V com os dedos...A cabra era muito gingozo mesmo...

Anônimo disse...

O Edmarzinho estava se deslocando com uma turma de amigos para assistir um jogo da Copa de 86 em um bairro da zona sul de teresina. Tinha faltado energia no bairro Acarape onde ele morava. Na Coelho de Resende o carro onde ele se encontrava sentado lá atrás com a tampa levantada, foi pego por outro que invadiu a preferencial, com o impacto ele foi jogado fora e teve morte por traumatismo craniano. Logo ele que gostava tanto de bola morreu por causa de uma partida de futebol de um time que nem valia a pena correr atrás. Ele era mesmo um craque que adorava fazer o que mais sabia. Estudar nunca foi mesmo seu forte, quem estudou com ele no colégio estadual, sabe.

Judilão disse...

Anonimo, o jogo do qual voce relata era uma jogo válido pela copa do mundo de 1986 no méxico entre Brasil e França no qual o Brasil perdeu e foi desclassificado.

zan disse...

Acho que vcs. se enganam:Edmar morreu nos anos 70, eu morava em Teresina e me lembro do fato. Acho que foi no carnaval, não na Copa do Mundo. Apurem isso.

Judilão disse...

Caro Zan, o Edimar faleceu num acidente de carro e o proprietário do veículo era o Lustosinha, e foi na copa de 1986 no dia do jogo Brasil e França, no qual o Brasil como sempre perdeu pra França. Pra tirar a dúvida é só ir no cemitério e ver a data certa...Eu só não faço isso porque eu moro em Roraima...

Milton - de Goiânia disse...

Zan, o Judilão, apesar de morar lá na Raposa Serra Sol, vizinho de Caracaraí, perto do marco zero do fim do mundo, tá certo com relaçaõ a data da morte do Edmar na Copa de 86. Esse Edmar a quem você se refere deve ser de carnavais do tempo do "Benedito casou com a a Benedita e foi morar com ela no distrito..." do Tenente Sebastião.
Parece que eu tou vendo o Zan sujo de maizena com uma mamadeira pela metade de Jurubeba. Ou seria de serrana, grande folião, figura exemplar da cultura campomaiorense.
É isso aí, é bom morder depois assoprar, como diz o Netto desse Blog. Quero conhecer esse Netto também, esse menino parce sabe das coisas. É de Campo Maior...

Judilão disse...

Obrigado pela ajuda Milton, e ainda tem um anonimo que fica dizendo que eu sou de coivaras. Tu agora foi buscar o tenente Sebastião no fundo do baú, devia lembrar tambem do Sebastião Filho, da Meiricí...etc e tal...A cachaça que o Zan tomava na mamadeira na época do Sambafo era a cachaça do Careca, não sei como ainda ta vivo, pois enxugou um monte de litros dessa marvada...hehehehehehe

zan disse...

Amigos, me perdoem se estou misturando os tempos e confundindo as épocas. Minha memória rã as vezes me prega peças... acontece. Só sei que me lembro que um dia encontrei a mãe dele, Toinha, que fazia um peixe maravilhoso ali pela santo antonio, e me solidarizei com sua dor... Na sala um poster enorme do Edmar com a camisa do River. Minhas memórias de carnaval são algumas engraçadas:1) eu e marreca íamos na rua santo antonio pedir emprestado uns vestidos e sutiã das meninas e desfilávamos travestidos, encima duma carroça, depois íamos pro campo maior club, com muita maizena no cabelo e no rosto; 2) desfilando com a escola de samba sambafo, martelando um tamborim, fantasiado de árabe... bons tempos, caras...

Lílian disse...

Olá, meu nome é Lílian, sou filha do Edmar e fiquei muito feliz ao ver essa foto dele aqui no blog. apesar de ter convivido pouco com ele,saber que ele foi uma grande pessoa e um excelente jogador de futebol me deixa muito orgulhosa.por favor, quem tivar mais fotos ou algo sobre ele mandem para meu e-mail lilinha.raquel@hotmail.com, ficarei muito agradecida.
Um beijo para todos.

Anônimo disse...

Lílian, é lamentável o fato de você ter convivido pouco com seu pai, ele era uma pessoa maravilhosa, com certeza ele iria se orgulhar de ter uma filha como você, que tá demonstrando ser muito sensível como ele sempre foi. BEIJOS.

mimidasbocas disse...

EMBORA MUITA GENTE NÃO SAIBA, O EDMAR ERA MEU IRMÃO DE LEITE. TIVE UMA AMIZADE COM ELE ATRAVÉS DO FUTEBOL.JOGÁVAMOS "GOLZINHO" NA ANTIGA SEDE DA AABB, PRÓXIMO DO ANTONIO MÚSICO. DEPOIS PARTICIPAMOS DE UM CAMPEONATO JUVENIL, EM CAMPO MAIOR,AONDE MEU TREINADOR ERA O "LAMBRETA" E O TRINADOR DO EDMAR ERA O "JÚLIO"(AMBOS DO COMERCIAL). DEPOIS FUI ENCONTAR COM O EDMAR ALGUNS ANOS DEPOIS, ELE JÁ PROFISSIONAL, JOGANDO EM TERESINA. CONHEÇO A LILINHA, SUA FILHA, A QUEM PROCURO AJUDAR PARA JUNTAR "COISAS" DO EDMAR, POIS ELA NÃO TEVE CONVÍVIO COM ELE, POIS DEUS O LEVOU PREMATURAMENTE.ABRAÇOS A TODOS,
EMILIANO JOSÉ DE ANDRADE NETO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...