quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Quanto riso, oh, quanta alegria...!

Em foto enviada pela Gracinha Torres, vemos o apronto do Bloco das Colegiais da Casa Inglesa, extinto estabelecimento comercial que se situava onde hoje está o Banco do Brasil. Para legenda, só temos a Isaurinha Bastos segurando o mastro do estandarte, e, mais na frente, a Socorrinha Lustosa e a dona do álbum fotográfico, Gracinha. Quem serão as outras súditas da loja de sua majestade?

Carnaval peso pesado

Os Momos se despem das protocolares vestimentas reais e caem na gandaia bem ao estilo dos seus súditos. O saudoso Paulo Bona Andrade está nitidamente admirado com o entusiasmo do rei hawaiano Helmolulu, com o animado carnaval que se brincava em Campo Maior.
E não esqueçam de tamborilar uns cliques nos anúncios Google, aqui do lado.

E como não existe mais carnaval em Campo Maior, e como os ânimos andaram mais do que acirrados por estes dias aqui no Bitorocara, nada mal ouvir este hino que embalou tantas alegrias nos nossos antigos carnavais.



Fotos: MuseudoPaulo&Bitorocara+ Gracinha Torres.

62 comentários:

Nestor disse...

O que mais é ver que estamos diante de tanta criatividade para agente lembrar de tempos tão bonitos e que ainda existem em muitas cidades brasileiras, e que Campo Maior e até no Piauí todinho existem gente que são contratadas pra desinventar e destruir com a competência da boçalidade e do bolso cheio pra fazer isso. Os olhos do Brasil estão voltados pra Recife nesta época porque os pernambucanos jamais aceitarão que nenhum aventureiro violente a sua tradição cultural.

Helmo disse...

Netto!!

Rapaz onde tú arranjou esta foto minha todo enfeitado e cheio da manguaça dançando carnaval com o Paulo!!! Os KLB - KI LAPA de BUCHO!!!
Aí foi um carnaval improvissado na Residencia, nosso sitio em Campo Maior...
Pena que esta cena descontraída, engraçada, bem humorada não possa se repetir mais...Infelizmente nosso irmão Paulo já não esta mais junto a nós, mas onde ele estiver, com certeza estará olhando para os seus..

Grande abraço

Helmo Bona Andrade

P. Quirino disse...

Nestor, não demora muito para as músicas das novenas dos festejos serem cantadas ao ritmo e com letras adaptadas do Funk carioca. Isso aí acho que vai ter resistência por parte da cúpula da igreja. Não sou de frequentar igreja, mas a estupidez tem que ter limites. É como você falou a boçalidade vive de se superar.

Dalva disse...

Bem no finalzinho do comentário do P. Quirino faltou a parte que diz que a boçalidade vive também pra contaminar os incautos. Não só por causa de carnaval, ela é onipresente e é danada pra se dá bem.

Anônimo disse...

Helmo essa sua fantasia tá ótima, vai com ela para o aniversário no dia 14 de fevereiro , da Cacá e Bebeta.

Simão Pedro disse...

Eita bicho da cara limpa... Helmo, as boas lembranças se eternizam, que bom pra você ter vivenciado essa alegria.

zan disse...

Essa foto desse dois cervejeiros aí talvez seja a mais erotizada foto já publicada neste blog... depois disso, meu amigo Netto, pode esquecer a idéia de tentar postar uma foto minha de sunga amarela pulando do paredão da barragem ou da ponte do surubim...

Simão Pedro disse...

Disccordo da cor da sunga, ao invés de amarelo, que tal a tradicional cor de abóbora?

zan disse...

Simão, ainda bem que vc. tá especulando sobre a cor da sunga, meu irmão... Falar nisso, fui convidado para dar o pontapé inicial num jogo de futebol que vai acontecer hoje à tarde num campo de futebol das fulôs. ali pras bandas da antiga cascata de nossa infância e juventude, com marmanjos vestidos de mulher... vai ser filmado e vai passar depois na www.tvcarnaúba.com... Daqui pra lá vou pensar na cor da sunga que eu poderia usar pra bater esse pontapé inicial... Já pensou se eu pudesse fazer isso com a sunga de cor de abóbora e um suspensório parecido com aquele que o nosso querido Octacílio Eulálio usava pra desfilar de bicicleta pela cidade? O irmão turuka e ele iam rir adoidados lá de cima daqueles nuvens que costumam ficar naqueles céus por ali...

Simão Pedro disse...

Rapaz tu tá ficando importante,é convidado pra tudo de casamento a batizado, leilão, partida de futebol, bingo, sentinela, o homem não perde nada, e haja disposição.Cara tu agora mecheu comigo ao falar na Cascata,tempos bons....mas voltando ao jogo, ou melhor ao traje, concordo com o suspensório do Octacílio, é o acessório que lhe faltava para cobrir o corpo desnudo, assim tu vai se sentir mais a vontade. Coloca no blog o filme,uma boa sorte e manda ver.

Simão Pedro disse...

Leia-se no comentário acima: "mexer " e não "mecher", se bem que nestas horas tá todo mundo se mexendo sem lembrar do X e do CH, enquanto isso neste domingo de carnval estou aqui mexendo com os "zói" e com o teclado.

zan disse...

Marcaram pra eu ir fazer a filmagem do tal jogo para a tvcaranauba e antes de 15 horas lá estava eu no local. Sob um sol de lascar, só as traves, nada além. Fiquei enrolando por ali, entrei numa lanchonete na beira da pista da estrada de Barras e lá pelas 4 horas, começaram a chegar os jogadores. Comecei a filmar e fotografar e a maquinhinha deu sinal que a pilha tava sem pilha. Ainda consegui filmar alguma coise e vou daqui a pouco ver se dar pra salvar o que tentei filmar e fotografar. E a batida do centro no início da partida? Deve ter sido brincadeira do meu amigo Licurgo Leite, que foi quem me convidou pra palhaçada... Sentei a beira do campo e fiquei rindo das palhaçadas dos jogadores vestidos de saia, sentindo o cheiro gostoso da vegetação ao redor...O campo fica ali onde se sai da estrada e entrando à esquerda vai-se pro Alto da Santa Rita ou pro rio Surubim...

José Miranda Filho disse...

Gracinha, você solicitou ao Netto a postagem da foto do bloco "As Colegiais", porque disse fazer parte dela. Na verdade, a fotografia não está bem visível, dificultando a perfeita identificação das figurantes. Quero acreditar que você deva ser uma das garotas da primeira fila, bem ao lado direito do estandarte (para quem vê), à esquerda do estandarte, portanto; a quarta menina (para quem vê) da direita para a esquerda. Essa que, com muito charme, tem os olhos voltados para a sua direita. Apesar de ter sido difícil pra mim identificá-la, pelas condições da foto, acertei? Ela é a que mais parece ser aquela Gracinha (faz muito tempo...?) que conheci.
Beijo.

José Miranda Filho disse...

Acredito que o ZAN, com tanto prestígio assim em Campo Maior, deu adeus definitivamente a Brasília, embora seus filhos lá vivam. Mas passeios ao DF não lhe faltarão, para irem amenizando a saudade. Não é, seu ZAN?
Abração.

João de Deus Netto disse...

Zé, então lá vai meu palpite: a Graça é aquela lá do fundo, com a mão esquerda segurando a gravata. Então?

TUIUIÚ disse...

Zé Miranda, olha o erro de portugues...É PRA EU...E NÃO PRA MIM...
Zé Miranda disse:Apesar de ter sido difícil pra mim identificá-la, pelas condições da foto, acertei? Ela é a que mais parece ser aquela Gracinha (faz muito tempo...?) que conheci.

Simão Pedro disse...

Ainda bem que seu traje ajudou,fez bem você ter ido de sunga e suspensório,nesse calor é bom estar bem a vontade.Depois informe o placar do jogo. Um abraço meu irmão.

zan disse...

Morro de medo desse negócio de prestigio e coisas do tipo... As pessoas aqui me respeitam e tudo mais mas cada vez que me elogiam aqui por alguma coisa que eu faço ou deixo de fazer, cresce minha responsabilidade de ser, de alguma forma, não digo um referencial ou modelo, mas um ser humano como outro qualquer, cheio de falhas e limitações, me esforçando pra fazer as coisas certas... Sair daqui está fora de cogitações, porque eu tou me sentindo muito bem aqui, só falta encontrar um grande amor, uma mulher nova, bonita, boa de coração, generosa (querer inteligênia e cultura duma pessoa dessas é querer demais, concordo...) e que tenha a melhor qualidade que uma pessoa possa ter: gostar de mim... É muito? Tá legal, vou continuar sonhando...

zan disse...

Simão, tu acha que se eu tivesse ido de sunga e suspensório os caras iam conseguir jogar, meu irmão? Pensa num cara mais bonito de corpo do que o Netto e o Zemiranda, juntos!!!! Que Judilão, coisa nenhuma, rapaz...

Washington Araújo disse...

Amigos,

Acabo de chegar de Campo Maior. A cidade continua linda, limpa, bem cuidada.
O clima esteve ameno, por causa das chuvas que já começaram a cair.
O ponto alto do carnaval, para mim, foi o aniversário das irmãs Cacá e Bebeta, na Esperança. A banda tocou todos os sucessos dos carnavais passados e os convidados caíram na folia.

Simão Pedro disse...

Eu dou por visto... tu quer agora rivalizar com o Neto e com o Zé Miranda ? Sem chance. Os caras pelo que eu tenho notícia estão saradões, retirando um excesso ou outro estão em forma e não precisam estar por aí de sunga cor de abóbora. Mas deixa de enrrolar e fala sobre o placar do jogo.

zan disse...

Simão, é porque tu não viu nada, meu irmão... As "Rapariga das FlÕr Arregaçada" perderam de 3 a 2 das "Piranhudas do Alto da Santa Rita", quer mais detalhes ainda?

Simão Pedro disse...

Não amigo, e torno a repetir: "dou por visto". Imagino o quanto iria render se os detalhes fossem aqui revelados.Ficamos satisfeitos com o placar e com o nome dos times,não precisa nem falar o nome do juiz e dos bandeirinhas.

João de Deus Netto disse...

Simão, e fora de qualquer cogitação, também estão, os elogios aos atos falhos dos filhos das donas Marias, mulheres trabalhadeiras; donas de lares e sem nenhuma mácula na educação destes pobres moços sopradores de apitos e saculejadores de camisas que simulam bandeirinhas nestas contendas bizarras, simulacros de futebol. Pronto, arregacei o nível!

zan disse...

Assubindo um pôco u nive da indéia, na preliminar deste grande match jogaram dois times de futebol em que num deles atuou um ex-jogador profissional que é hoje pastor protestante... não gravei mais informações sobre o cidadão, mas me parecia uma pessoal normal...no jogo principal,fora das quatro linhas os gritos não eram pros filhos de raparigas, eram to tipo: "vai na bola, rapariga ruim..." O pior de tudo é que na rua os jogadores me param perguntando se o material que eu gravei vai ser veiculado... O Edilson Araújo ficou chocado com algumas imagens "fortes" e tá em dúvida se mostra o material ou não...eu não vi nada demais...

Simão Pedro disse...

Porque isso agora? Censura? vão tirar da gente o direito a informação? Protesto. De tanto ouvir falar deste acontecimento, temos o direito de assistir ao vídeo.Bem, eu não queria, mas já que arregaçaram o nível, lá vai: vocês tem a obrigação de mostrar a cara deste magote de rapariga ruim dando coice na bola, exijo mais,mostrem também a cara do assoprador de apito de chamar avoante e dos seus comparsas agitadores de flanela velha comprada no Pedro Mesquita numa promoção. Se o vídeo não for mostrado,vou me queixar a ABI, OAB,CBF ao Bispo, ao Tenente Sebastião, que alguém tome uma providência. Netto nos ajude, uma abaixo assinada aqui no Bitoracara talvez funcione. Sr Zeferino, qual sua posição? Vai amarelar? que dane-se o Edilson Araujo.(Ponto final!!!)

Anônimo disse...

A Maria Áurea poderia identificar as integrantes do bloco da Casa Inglesa?

zan disse...

Eu não sei bem o que aconteceu, mas quando eu comecei a filmar a máquina deu um sinal de que as "pis" tavam fraca... Aí eu desligava e ligava, filmava mais um pouco e desligava pra ver se conseguia salvar a situação... como eu não sei mexer muito bem com o troço lá, eu não sei se filmou ou não... eu não vi ninguém lá com os "quibas" soltos sem cueca ou calcinha...ou que pudesse ser caracterizado como atentado violento ao pudor... mas acho que não vale a pena especular sobre os reais motivos da "censura" pra não mexer com alguns melindres religiosos do Edilson ou de familiares dele...

zan disse...

..."pis" ali no comentário anterior era pra ter sido "pias"...

zan disse...

...não aconteceu nem uma cena que já tá ficando normal no cotidiano brasileiro, tipo o cara descer as calças e mostrar a bunda... tinha muita família, mulher e criança ao redor do campo... imaginar que alguém num arroubo de entusiasmo depois de marcar um gol de placa saisse correndo pra torcida adversária com o pau da bandeira na mão gritando "taqui pra vocês"... aí, Simãozinho, os home iam baixar lá e levar até o cinegrafista...

Dilma disse...

Que legal! rever essa foto deu uma enorme saudade desse tempo e das amigas: Cristina Lima, Fátima Portela(minha prima), Socorro Melo,eu (Dilma),Dircinha, Silvia Melo,Conceição Aragão, Maria Alzira e Socorrinha Rufino.
A foto foi o registro do encontro para um delicioso almoço na residência da saudosa Conceição Aragão.
VALEU!!!

Simão Pedro disse...

Minha irmã Amparo verificando a imagem da primeira foto identificou com muita vibração as amigas: Remédios Bandeira,Gracinha Aragão, Sinhá Melo,Silvia Melo,Dicinha,Dilma Andrade, Socorrinha da Mirozinha, Fátima Portela e Cristina Quaresma.

Simão Pedro disse...

Minha irmã Amparo verificando a imagem da primeira foto identificou com muita vibração as amigas: Remédios Bandeira,Gracinha Aragão, Sinhá Melo,Silvia Melo,Dicinha,Dilma Andrade, Socorrinha da Mirozinha, Fátima Portela e Cristina Quaresma.

zan disse...

Misturar os quibas dos cabocos do bairro das flôr arregaçadas com essas meninas da jovem guarda ai, não vai dar certo, presta atenção...

Simão Pedro disse...

Meu irmão, agora que eu fui ver meu destrambelhamento,esta mistura foi imperdoável.Estava escrevendo o comentário e o Simãozinho, ao meu lado querendo o PC com uma cara que cabia cinco padre nossos, o descuido foi inevitável.

Maria Aurea disse...

Identifico poucas pessoas no Bloco da Casa Inglesa,nunca participei de nenhum bloco e nem de festas de carnaval.

José Miranda Filho disse...

Há pais que registram e batizam filhos com nomes estranhos sem levarem em conta a reação destes quando crescerem. Mas, até, que os genitores do TUIUIÚ fizeram excelente escolha. Tuiuiú é uma ave de grande porte, pernalta, semelhante à ema. Habita considerável território das Américas, incluindo-se o Brasil. Ave exuberante, das cores branca, vermelha e preta (para quem é riverino e/ou são-paulino...). Meus velhos diziam que o nome tuiuiú é usado para designar "cabeça-seca" (menino, eu nunca tive a curiosidade de saber por quê). Pois bem, afinal, os nomes dos humanos já são demasiadamente repetidos. Não têm mais graça. Devemos seguir novas opções. Nomes inspirados na flora e na fauna são originais, ecológicos, denotam bom gosto. Por que só existem na forma de nomes de família, sobrenomes: Carvalho, Oliveira, Lima, Feijão, Coelho, Carneiro, Bezerra, Barata, Leão etc.? Sim, acho que tomarei este caminho e me oferecerei como modelo. José já é muito usado e abusado. Penso em mudar de José Miranda Filho para ASNO Barros Medeiros Uchôa da Costa Araújo Rodrigues de Miranda. Muito pomposo, não? Parece, até, da alta nobreza da Corte espanhola. Além do mais, de acordo com o prenome, é bem representativo do que sou; estou certo, TUIUIÚ?
Sei que não comporta tudo. Prosseguirei adiante.
Há pais que registram e batizam filhos com nomes estranhos sem levarem em conta a reação destes quando crescerem. Mas, até, que os genitores do TUIUIÚ fizeram excelente escolha. Tuiuiú é uma ave de grande porte, pernalta, semelhante à ema. Habita considerável território das Américas, incluindo-se o Brasil. Ave exuberante, das cores branca, vermelha e preta (para quem é riverino e/ou são-paulino...). Meus velhos diziam que o nome tuiuiú é usado para designar "cabeça-seca" (menino, eu nunca tive a curiosidade de saber por quê). Pois bem, afinal, os nomes dos humanos já são demasiadamente repetidos. Não têm mais graça. Devemos seguir novas opções. Nomes inspirados na flora e na fauna são originais, ecológicos, denotam bom gosto. Por que só existem na forma de nomes de família, sobrenomes: Carvalho, Oliveira, Lima, Feijão, Coelho, Carneiro, Bezerra, Barata, Leão etc.? Sim, acho que tomarei este caminho e me oferecerei como modelo. José já é muito usado e abusado. Penso em mudar de José Miranda Filho para ASNO Barros Medeiros Uchôa da Costa Araújo Rodrigues de Miranda. Muito pomposo, não? Parece, até, da alta nobreza da Corte espanhola. Além do mais, de acordo com o prenome, é bem representativo do que sou; estou certo, TUIUIÚ?
Sei que não comporta tudo. Prosseguirei adiante.

José Miranda Filho disse...

Seu ZAN (permita-me evocá-lo aqui), conforme você disse, em comentário acima, presumimos que nos tornamos estrelas; astros, soa melhor, uma vez que somos masculinos. Cheguei a dizer a umas amigas bitoroqueiras que, assim, tomaria chá de sumiço. Há pessoas companheiras nossas de Bitorocara com os olhos grandes para o que fazemos e dizemos, somente para procurar nossas falhas! Gesto mesquinho, condenável. É claro que existem aqueles que o fazem apenas como brincadeira, conforme vemos aqui o Simão Pedro. Segundo afirmou, certa vez, o próprio dono do blog, João de Deus Netto, não estamos fazendo literatura no Bitorocara, porém apenas exprimindo sentimentos, manifestando opiniões e, até, informando alguma coisa, em faze de assuntos que nos interessam, por serem de nossa terra, da nossa gente, pessoas conhecidas, ou de quem somos amigos, ou quem amamos. E cada um se expressa como sabe, conforme gosta, em estilo pessoal. Basta-nos analisar, e constataremos essas diferenças, as quais só enriquecem o conteúdo do Bitorocara. Mas percebam que ninguém pretende fazer estrelismo, provar que é o tal, melhor do que os demais. Porque tenho preferência por escrever de forma mais ou menos séria, buscando, na medida do possível, agredir menos nossa gramática, há quem me considere intelectualizado, pernóstico, esnobe, superior mesmo. Sendo alguém de personalidade tão simples, atestada, comprovada por quem, realmente, me conhece.
No entanto, os TUIUIÚS da vida estão de olhos arregalados, digamos olhos de águia, esmiuçando-me, imbuído do propósito de flagrar meus pecados linguísticos. Como se diz: sem dó nem piedade. Fazem questão de soltar aos quatro ventos, aos quatro cantos da área de abrangência do Bitorocara, plenos de prazer, de regozijo. "O Zé Miranda errou, ele errou!" A alma transbordante de contentamento. Parece, até, que se descobriu um erro de Rui Barbosa, de Machado de Assis, de Castro Alves, de A. Tito Filho. É a desgraça de outrem submetida à avidez humana de muitos, à troça pública. Motivo, também, para autoafirmação; quem corrige, sabe mais. A intenção é: "Olhem, o Zé Miranda nada sabe, apesar de arrotar sapiência. Mas eu é que sei o que é certo." São, lamentavelmente, os tuiuiús! Logo contra este, que, no presente blog, nunca tentou mostrar os erros de quem quer que fosse. Se cometi isso alguma vez, nem sei se de fato o fiz, conduziram-me a fazê-lo como desabafo, endereçado a quem se utilizou deste veículo de comunicação para me atirar piada, deboche, desrespeito infundados.
Continuarei em seguida.

José Miranda Filho disse...

Seu TUIUIÚ (ou dona TUIUIÚ): acerca do meu erro apontado por você, ele ocorreu só se foi mesmo em PORTUGUES. Não sei se você sabe, mas este vocábulo é oxítono, exigindo, por conseguinte, acento circunflexo na última sílaba - GUÊS. Relutei em resolver se você mereceria atenção, resposta. Decidi afirmativamente. Aqui me encontro. A regra que motivou sua correção é tão elementar, que alunos principiantes da etapa que, outrora, correspondia ao curso ginasial, conhecem. Como pode supor você, que se dá o trabalho de manter-me sob sua lente vigilante, perscrutadora, em razão de me atribuir, sem dúvida, conhecimentos da matéria de Português, que desconheço tão simples regra? "A carne para mim comer no almoço." O que é isso?! Mim não come! Quem ignora? Mas: "A carne para eu comer no almoço." Apenas se usam os pronomes pessoais eu, tu, ele, ela, nós, vós, eles, elas - do caso reto - quando exercerem a função sintática de sujeito de um verbo no modo infinitivo, que é o nome do verbo, podendo este ser tanto flexionado quanto não flexionado. Como no exemplo acima, o sujeito de comer é o pronome eu. Para se conhecer o sujeito, pergunta-se: quem comerá a carne? Resposta óbvia: eu. Os pronomes pessoais ele, ela, nós, vós, eles, elas, quando estão regidos por preposição, são também pronomes do caso oblíquo. Assim, pode-se dizer: "Esta caneta é para ela." Os pronomes oblíquos tônicos - mim, ti, si, ele, ela, nós, vós, eles, elas -, que são utilizados apenas com preposição, não funcionam como sujeito do verbo, e sim na condição de complemento. "É fácil para mim(,) dissertar sobre economia." A vírgula depois de mim é facultativa, optativa. Na leitura, não se faz pausa somente com a presença de vírgula. Experimentemos ler a frase fazendo pequena pausa depois de mim, e sentiremos a diferença. Na frase dada como exemplo, existem dois verbos - ser e dissertar. Trata-se, pois, de um período composto. Então, indague-se: o que é fácil? Responda-se que é dissertar sobre economia. Observe-se que o sujeito do verbo ser é uma oração. Sendo o sujeito uma oração, chama-se oração subordinada substantiva subjetiva. Num período, há o que se denomina ordem direta. Nessa ordem, o sujeito é posto no início da oração, vindo, em seguida, o verbo. Portanto, colocando-se a oração subordinada substantiva subjetiva no começo do periodo, isto é, na ordem direta, a frase será: "Dissertar sobre economia é fácil para mim." Poderá ter também as seguintes ordens, alterando-se os termos: "Para mim(,) é fácil dissertar sobre economia." "É fácil para mim(,) dissertar sobre economia." "Para mim(,) dissertar sobre economia é fácil."
Como não comportou, o mesmo assunto segue noutro comentário.

José Miranda Filho disse...

O verbo ser, sintaticamente, chama-se verbo de ligação, que é aquele que indica qualidade; na frase examinada, qualidade é fácil. Este adjetivo exerce a função sintática de predicativo do sujeito. Fácil precisa da preposição para ou da preposição a - fácil para alguém ou a alguém. No caso de um adjetivo exigir uma preposição, esta inicia um complemento nominal, termo que, como se vê, completa o sentido do adjetivo. Percebe-se aqui que o pronome oblíquo tônico mim apresenta a finalidade de complementar o adjetivo fácil, jamais a de ser sujeito do verbo dissertar, nunca se empregando o pronome reto eu. No exemplo, cabem, obviamente, todos os pronomes oblíquos tônicos, além de mim - ti, si, ele, ela, nós, vós, eles, elas. Assim: fácil para ti, fácíl para nós... Que tal vermos também os pronomes oblíquos átonos - me, te, lhe, nos, vos, lhes - os quais não são preposicionados? Exemplos: "É-me (É-te)(É-lhe)(É-nos)(É-vos) (É-lhes) fácil dissertar sobre economia." Estes pronomes funcionam, igualmente, como complementos nominais. Fica bem claro que o verbo no infinitivo - dissertar - não flexiona. É sempre desta forma: existindo, num período, o verbo ser ou o verbo estar seguido de adjetivo com preposição e de outro verbo no infinitivo, este permanece invariável. Apenas vejamos: "É fácil para mim dissertar sobre economia." "É fácil para nós dissertar sobre economia." "É fácil para vós dissertar sobre economia." "É fácil para eles dissertar sobre economia." "É fácil para os estudantes dissertar sobre economia." Ora, tal ocorre por considerar-se que esses pronomes não funcionam como sujeito de dissertar, mas como complemento nominal do adjetivo fácil. Com os pronomes oblíquos átonos - são os que não pedem preposição, anteriormente mencionados -, o verbo no infinitivo permanece também invariável. "É-nos fácil dissertar sobre economia." "É-lhes fácil dissertar sobre economia." Já, quando se trata do uso de pronome do caso reto, o infinitivo do verbo flexiona: "É para nós amarmos." "É para vós amardes." "É para eles amarem." Além do adjetivo fácil, usado nesta explanação, podem ser empregados também os seguintes, nossos muito conhecidos: difícil, útil, necessário, preciso, importante, bom e outros. "É bom para nós orar sempre." "É aconselhável aos pais orientar os filhos." "É necessário para ti abandonar o tabagismo." "É importante para mim assinar o contrato." Podem-se fazer as inversões, as alterações na ordem dos termos, conforme se procedeu anteriormente.
Seu TUIUIÚ, como se viu, é mesmo mim ou ti que se aplica ao caso. Reveja sua análise para aquela minha expressão, no comentário sobre a Gracinha Torres. E, como foi esperto, lépido na tentativa de me ridicularizar publicamente, seja mais rápido na reconsideração de suas palavras anteriores. Ainda que não se desfaça da máscara que lhe oculta a identidade. E peço desculpas por expor aos bitoroqueiros os seus reais conhecimentos da gramática portuguesa. Perdoe-me também, João de Deus Netto, por eu haver, desnecessariamente, ocupado imenso e valioso espaço do seu blog. Abraço.

De Assis disse...

Homi, num faça mais isso não desaprecendo assim, mim gosta de ler seus escritos, mim não, eles elas, nos, vos a cambada toda. Então esse sumiço foi só pra escrever esse piquerio de aula aí pro tuiuiui? Ma rapá manda esse galo mago pra baixa da egua.

Gracinha Torres disse...

José! Mesmo quando você está brabo, continua pândego. Acho até que é bom acontecer um dessa, para escrever tanto. Como você pode falar em sumir. Todos nós adoramos o que escreve.
Não vale tanto valorizar o que o pássaro falou, creio que está provocando você escrever, deve ser fã.
Nossa, mas você é zangado mesmo, não lembro disso.
Fique calmo, que as festa veem ai.
Beijos,e escreva maaaaaaaaiis!

Anônimo disse...

Seu minino, num carecia gastá tanta sabiduria cum a pobe da pernalta

Tuiuiú disse...

Seu zé, voce pega "AR" bem facim.
Só porque eu dixe que tu escreveu errado?
Aprenda uma ciosa seu zé.
Errar é humano.
Peço minhas desculpas.

Anônimo disse...

Cadê o JUDILÃO?

Rapaz este cabra tomou sumiço, será que ficou com medo do ZAN?
E agora vem este tal de TUIUIÚ sacanear com o ZE MIRANDA...
Netto, aqui ta cheio de cabra da peste, infezados, valentes, que pegam ar facim, facim.....
Ainda bem que temos o SIMÃO que contemporiza, acalma as partes com suas palavras....
Só que depois vem o JÚNIOR ARAÚJO com uma valentia doida e arregaça tudo...
Queria era ver uma "briga" do gozador do JUDILÃO com o JÚNIOR... Ai era fuá pra todo lado..

xicosuvaco disse...

Judilão e Tuiuiu são a mesma doença...presta atenção no estilo e nas expressões... "AR"... não sabem nem esconder o rabo, os otários...

TUIUIÚ disse...

Xicosuvaco,
Voce quer me comparar com o tal judilão?
essa expressão ar é do munção mané.

Simão Pedro disse...

Pronto, virei bombeiro! agradeço anônimo por lembrar de mim como contemporizador e brando, sou apenas mais um, cansado de guerra.

José Miranda Filho disse...

De Assis, apesar do seu estilo na escrita, em que não se tem certeza de que esteja, realmente, falando sério, gostei de saber que você se inclui entre os que apreciam ler os meus comentários. Não, a baixa da égua é muito ruim para o Tuiuiú. Saiba que perdoarei a ave mais abaixo.

José Miranda Filho disse...

Gracinha, não sou muito de ficar brabo. Depende das circunstâncias. É por isso que recorda o meu gênio bom (daquele tempo...!) Ainda bem que você acha que, mesmo na zanga, mantenho a pândega. Imagino que você se esqueceu de que deveria ouvir, lá de sua casa, no outro lado do muro, o meu barulho no quintal da minha, quando o Icade me apelidava de "Esqueleto do Ginásio", ou se o Flamengo ou o Comercial apanhava, ou ao tomar um gol no jogo de botão. Eu ficava tão irado, que, se tivesse, no lugar de um botão do jogo, o da bomba atômica, explodiria o mundo naquele instante. Você fala em nome de quem, com qual autoridade, para dizer que "todos nós adoramos o que escreve"? Já comentaram mesmo que escrevo demais. Quando começo, não pretendo terminar. Que escrevo um jornal inteiro. Especialmente aqui, onde o espaço é reservado apenas para comentários. Veja como já estou me alongando. Ah! seguindo seu sábio conselho, deixei de valorizar tanto o que o pássaro disse. A pedido dele, leia, em seguida, o meu perdão.
Milhões de beeeeeeeijosssssss!

José Miranda Filho disse...

Que "sabiduria o quê", Anônimo! Não sou nenhum "sábiu" não!

Tuiuiú:
Errar é humano. Sua opinião é originalissima! Eu, porventura, também não erro? Não serei mais um humano, porém um arcanjo? Se está, realmente, arrependido do erro que, injustamente, cometeu contra mim, lhe digo que não sou o misericordioso Jesus, mas que, em nome do Cristo, lhe concedo o perdão. Mas oriento você a não reincidir, porque "errar é humano", mas continuar errando é próprio de animal. E, como sei que, de bicho, você tem apenas o nome... Mantenha-se civilizado a fim de obter perfeitas relações com pessoas; prestou atenção, sua pernalta velha?
Um abraço.

zan disse...

Passei uns anos ouvindo que errar é humano, inistir no erro é com goiano...como cururu é um bicho que dá até por aqui e ai pertinho de goiás, no mato grosso, apontar erro de portugues no que brasileiro escreve, é coisa do quê mesmo, zémiranda?(esses caras não te deixam quieto nem quando adoeces, né, cara?)

De Assis - do Pio XII disse...

Seu Zé, é certo muito verdadeiro o que falei a respeito dos seus escrito. Além do mais, o caba ou a cabrita que disser que nun gosta ou ta liso, deveno o que não pissui ou tá nesse tal de PTM sei lá no meu tempo era de bode pronto. Aqui é seu Zé que mexe direitin com a caneta, o Zan que divez em quanto dá umas variadas nas ideia mas é bom tomén, o dono do blog, num tou puxano saco não, e ele ainda fresca com a cara de mei mundo na maciota, só na manemolencia. Aqui o negócio é bom demais, carece nem de repetir o todo mundo fala.
Já tou morano na capital de novo.

zan disse...

De Assis, né cabra vé? Te conheço de algum lugar... Eu, dono do blog, né? Eu sei...

zan disse...

Gente, conheço a peça desde que desembarcamos aqui nas caravaelas do zé das cabras, o que zémiranda falar não levem nada a mau (será que é assim, lusmarina? - viajei com essa criatura num barroso na terça, por aí, pra teresina e conversamos a viagem inteira, que ser humano fantástico, sua filha, professora Belinha Milanes!) Perdi-me, mas tava falando do Zémiranda:é a pessoa mais sem maldadade desse mundo que eu conheci, depois de mim, claro...

De Assis - Pio XII disse...

Que foi Zan tá cum ciume? aparece ali na barão de gurgéia pra gente tomá uma duas, ali perto donde dobra pro depósito da jet pede pro cobrador, pra cá do bradesco de quem vai do centro o bar do seu chico fica do lado esquerdo numa calçada alta com uma sinuca, marca odia que tu quiser vai lá e deixa que eu te conheço do teu blog e do bitorocara só dá tú mermo com essa cara veia de vei recicrado. Pega o onibus do saci na praça saraiva e desce lá pra rente se abri adoidado tomano uma e comendo uma panelada dasquela com muita pimenta. Ali é o Pio XII mais um bocadin é que começa a tabuleta mermo. Meu trabalho é no Dnocs mais aí tu já quer até meu CPF. De lá arrente desce pro ferro de engomá na Pedro Freita onde tem umas menina filé que só gosta de vei. tou esperando e leva o vei Zé tambem pois vou sair de lá bebado e doutor. Dá as manha aqui no blog qual dia melhor pra ti.

TUIUIÚ disse...

De Assis, acho que no portela é bem mió.
De lá tu dexi até pertim do centro administrativo que tem umas minas filézim.
O José Miranda vai sair zambeta juntim com o Zan.

zan disse...

Ô de Assis, que intimidade é essa, macho véi? tu acha que o motorista da minha limusine num cunhece essas bocas aí dessas beira de rio onde um dia desses eu tive que escorregar por esses matos a pra uma necessidade mais imediata pra não ter que sujar nosso carrrim? tu acha que eu vou levar meu primo irmão zémiranda pesses imbientes ruim aí, ele que não sai de noite nem pras recepções que o welingtim convida ele no karnak... Como diz meu amigo KK: "te fecha, cara!!!"

zan disse...

Cururu, aquelas mina filezim do centro administrativo, num sei, não, tu já olhou elas de perto pra ver que diabo é aquilo mermo?

Anônimo disse...

Rapá deixa de jogar sal no cururu.

zan disse...

Esse cururu aí só com sal grosso e vela preta, anônimo...

Anônimo disse...

Meu amigo Zan, você estar fazendoo Curso que mais combina com essa turma que fundou a Pitisqueira e fazian passeios pela Praça Rui Barbosa pelo lado de fora enquanto as mulheres rodavam em sentidos contrários na mesma praça a procura de paqueras. Você vai ser nomeado o "Historiador Mor" dassa turma que vai deixar muitas saudades para a nossa terra.
Um Abraço

Prof. Paulo Pelé.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...